Tratamentos » Cirurgia Odotológica

Muitas pessoas desconhecem a especialidade de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Com nome um tanto quanto complicado, esta especialidade da área odontológica trata cirurgicamente das doenças da cavidade bucal e seus anexos, tais como: traumatismos e deformidades dentofaciais.Por exemplo, indivíduos vítimas de acidentes que necessitam de procedimentos para reconstrução facial são encaminhados para o especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Outros que possuem problemas de mal posicionamento esquelético da maxila e mandíbula, necessitam, também, serem submetidos a procedimentos maxilofaciais, através da cirurgia Ortognática.

Para o cirurgião-dentista com formação em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Dr. Kelston Ulbricht, a especialidade é às vezes desconhecida até pelos colegas de profissão. “Para isso, realizamos cursos e palestras em faculdades para informar e orientar os recém-formados sobre essa especialidade e as possibilidades de tratamento para os pacientes, que ganham e muito com a parceria entre as especialidades”, informa o cirurgião Bucomaxilofacial.

Outro equívoco comum é em relação ao objetivo do tratamento. “A cirurgia Ortognática não deve ser encarada apenas com o objetivo estético, mas principalmente com o objetivo funcional. Isso se deve ao fato dos pacientes terem uma melhora significativa na mastigação, respiração e até na prevenção de possíveis problemas articulares”, analisa Dr. Kelston. Por outro lado, a cirurgia Ortognática desempenha um papel fundamental na elevação e no resgate da autoestima do paciente, que adquire um melhor posicionamento das arcadas dentárias e isso resulta em uma melhora significante na harmonização da face.

Segundo dados do Conselho Federal de Odontologia, cerca de 10 milhões de brasileiros precisariam se submeter a uma cirurgia Ortognática para a correção do maxilar ou da mandíbula.É uma cirurgia de grande porte realizada em ambiente hospitalar. No entanto, o pós-operatório é conduzido pela equipe cirúrgica de forma a reduzir os desconfortos inerentes ao procedimento. “O paciente chega cedo para a internação e no mesmo dia faz a cirurgia, sendo liberado já no dia seguinte. O período de internação é de normalmente 24 horas”, comenta o especialista.

O tratamento ortodôntico prévio é necessário para preparar o posicionamento dos dentes antes da cirurgia. O paciente é submetido ao procedimento cirúrgico ainda com o aparelho e, após, continua com o tratamento ortodôntico para a finalização e últimos retoques ortodônticos. O tratamento para correção da deformidade dentofacial, ou do mal posicionamento dos maxilares, deve ser realizado em conjunto com o profissional ortodontista. “A cirurgia Ortognática acontece normalmente após um ano e meio a dois anos do início do tratamento ortodôntico”, afirma Dr. Kelston.

Foi o que aconteceu com a professora Rosicléia Cecília Ferreira. Moradora de Xambré, no interior do estado, ela conta que usou aparelho ortodôntico por dois anos antes da cirurgia e mais cinco meses após o procedimento, realizado em janeiro deste ano. “Já não preciso mais usar o aparelho e estou muito feliz com o meu sorriso perfeito”, comemora. Ela buscou a cirurgia pela indicação e orientação de seu ortodontista. “Fui para Curitiba várias vezes antes da cirurgia para realizar consultas e exames pré-operatórios, indicados para qualquer paciente que será submetido a esse tipo de procedimento. No dia da cirurgia, dei entrada no hospital pela manhã e no dia seguinte já estava dispensada. Durante 15 dias após a cirurgia, ingeri apenas alimentos líquidos e, na sequência, alimentos pastosos. Conforme os dias iam passando a alimentação foi voltando ao normal”, conta Rosicléia, que destaca que apesar de parecer uma cirurgia complexa, foi tudo de maneira simples e descomplicada, ocorrendo tudo muito bem. “Posso afirmar que a minha mastigação e meu sono estão 100% melhores. Minha vida mudou completamente e estou muito satisfeita e feliz”.

A bancária Desiree Azevedo é outra paciente que também está comemorando o resultado obtido com a cirurgia Ortognática. Ela realizou o procedimento porque tinha muita dificuldade de respiração. No pré-operatório, Desiree teve que fazer os exames indicados para a cirurgia, como exames de sangue, radiografias da face, avaliação cardiológica e outros.

“Foram várias visitas ao consultório para tirar dúvidas, além da preparação dos modelos em gesso para o planejamento cirúrgico. Não precisei tomar nenhum medicamento antes da cirurgia. Fiquei internada apenas um dia e foi tudo bem tranquilo. O único desconforto que tive foi o inchaço dos primeiros dias. No meu caso, o acompanhamento de uma fisioterapeuta foi essencial para a minha recuperação ser completa”, relata Desiree, que não precisou se ausentar muito tempo do trabalho. “Em duas semanas eu já estava trabalhando normalmente. Todos me elogiam e falam que estou muito melhor. E, de fato, estou muito satisfeita, pois minha cirurgia foi indicada para que conseguisse respirar perfeitamente”, comemora a bancária, que teve seus objetivos alcançados.

Extração dos dentes do siso sem medo e sem mistério. Em muitas situações, os dentistas indicam a remoção dos dentes do siso, seja por uma medida preventiva ou por já estarem apresentando problemas, como inflamação, dor e apinhamento dos dentes adjacentes. Porém, na maioria das vezes, os pacientes acabam evitando tal procedimento por imaginarem ser muito complexo ou por medo de sentirem dor. Isso acontece pelo fato de terem contato com pessoas que possivelmente tiveram experiências ruins sobre o assunto. “De fato, a remoção dos dentes do siso não é um procedimento simples e deve ser encarada com uma pequena intervenção cirúrgica”, comenta Dr. Kelston.

O cirurgião Bucomaxilofacial, com formação e vivência diária na realização de cirurgias de alta complexidade, realiza estes procedimentos de cirurgia oral menor de maneira muito rápida e segura, diminuindo os riscos e desconforto do paciente durante e após o procedimento. “Dependendo do grau de dificuldade diagnosticado para a remoção dos dentes do siso, o paciente pode até realizar a cirurgia no mesmo dia. Não há dor, pois o procedimento é realizado sob anestesia local. E ainda, se o paciente preferir, pode ser submetido à cirurgia sob sedação venosa também, para dormir e acordar quando estiver tudo finalizado”, comenta Dr. Kelston.

“Eu estava morrendo de medo, porque meu irmão passou por maus bocados quando retirou os sisos dele. E eu não queira que acontecesse a mesma coisa comigo”, conta a estudante Ana Paula Feldman, que procurou por um especialista em cirurgia Bucomaxilofacial para remover seus dentes do siso.

“O cirurgião pediu para eu tomar uma medicação antes e depois da cirurgia. Assim, não senti nenhuma dor. Foi tudo muito rápido, em meia hora ele já tinha terminado a extração dos quatro sisos”, conta a estudante. Ana Paula diz que agora, sempre que alguém comenta que vai tirar o siso, ela indica um cirurgião Bucomaxilofacial para realizar esse procedimento. “Hoje posso dizer que fiquei com medo à toa”, comemora.

“Quando a cirurgia é realizada por um profissional habilitado e competente, o procedimento torna-se tranquilo, rápido, seguro e com uma boa recuperação pós-operatória”, complementa Dr. Kelston.

Depoimentos

Veja declarações de alguns pacientes que tiveram nossos cuidados